Archive for novembro, 2007

Vinícius ou Manuela? Nenhum dos dois…

Picture-159Com a gravidez surgem uma série de perguntas.

A primeira delas é:

É menino ou menina?

E a segunda, logo em seguida:

Mas qual vocês preferem?

Eu não tinha nenhuma preferência por qualquer um dos sexos. Mas de um certo modo, até como que uma maldição ou vingança tardia ouvi muitos:

Você tem cara de pai de menina! ou Você vai ver só, vai ter uma menina!

Menino ou Menina? Tanto faz.
Mas se eu queira saber? Com certeza!

Poxa, precisa definir nome, decoração do quarto, comprar enxoval… um milhão de coisas são definidas à partir do sexo do bebê (mas no momento só me lembro dessas três).

Como a tecnologia está ao nosso lado, existe hoje um exame chamado de “Exame de Sexagem Fetal” onde é possível determinar o sexo do bebê já a partir da 8a. semana de gravidez e com 99% de certeza.

O Planeta Bebê (ele de novo!) tem uma ótima matéria à respeito desse exame, mas vou escrever brevemente do que se trata, na linguagem de quem ainda pode beber cerveja:

Lembra das aulas de Biologia, aquela história de “X” e “Y”?

profboazuda Se você teve uma professora de Biologia… hmmm… como a minha, talvez você estivesse prestando atenção em outros atributos enquanto ela escrevia na lousa.

Ok, tente apagar a imagem daquela professora incrível (até porque hoje ela deve estar velha) e volte a se concentrar aqui no texto.

A teoria era algo assim: O que determina nosso sexo é um par de cromossomos. O da mulher é “XX”, o do homem é “XY”. Óvulos são “X”, espermatozóides podem ser “X” ou “Y”. São os homens que determinam o sexo de seus filhos (yes!).

Lembrou? Pois é, o exame trata disso mesmo.

Através da análise do DNA do sangue da mãe é possível detectar fragmentos de cromossomos do bebê, e dentro deles procurar pelo tal do “Y”. Se achar “Y” é menino, se só tiver “X”, é menina! Simples assim.

E hoje de manhã, no momento que saíamos de casa no hall do elevador, tocou o celular da minha mulher.
Já pensei: Logo cedo? Coisa boa que não é…

E não era mesmo. Era coisa ótima!
Era a responsável pelo exame no Hospital Sírio Libanês com o resultado: menino ou menina?

Vinícius ou Manuela?
Nenhum dos dois!

Houve uma mudança de última hora…
Seja bem-vindo Rafael!

Anúncios

22 novembro, 2007 at 12:54 pm 1 comentário

Grávidas adoram vodka

vodka_large É exatamente isso que vocês ouviram, pelo menos no caso da minha mulher.

Não, ela não se chama Natasha e também não foi contratada pela internet, como a Nicole Kidman.

O fato é que a gravidez transforma as mulheres. Lhes dá diversos super poderes. Poder gerar uma nova vida é só um deles.

wonder womanUm outro, o qual falarei hoje, é o super olfato.

É impressionante como logo nos primeiros dias de gravidez o olfato de minha mulher ficou apurado. Não. Apurado é pouco. Eu diria que o olfato foi, praticamente, transformado em faro.

Pois bem, um belo dia, chegando de um HH com os amigos me deparei com minha mulher e seu faro. Ela foi capaz de dizer exatamente tudo o que havia bebido, quantidades, marcas, safras e, inclusive, que o paninho que enxugou meu copo estava meio sujo.

Resultado: escova de dentes, pasta, listerine, mais pasta, mais listerine e muita água.

dog-nose-crw_3412E ela ainda conseguia reclamar do cheiro.
No dia seguinte.

No HH seguinte minha amásia me acompanhou.

Abri o cardápio. Momentos de tensão. A sugestão veio dela:

“Por que você não pede uma caipirinha de vodka?”

Desde então chegar embriagado em casa tornou-se muito mais prazeroso!

drunk

9 novembro, 2007 at 7:08 pm Deixe um comentário

Vida de Equilibrista

vidadeequilibrista2A primeira gravidez é mágica por uma série de motivos que acho que todo mundo é capaz de imaginar.

Um deles é a quantidade de presentes que você recebe.

Hoje vou falar de um presente que ganhei, para mim e minha mulher, com direito à dedicatória e tudo: o livro Vida de Equilibrista – Dores e delícias da mãe que trabalha, de Cecília Troiano!

Ganhei o livro da própria Cecília (mais uma vez, obrigado!) e uma recomendação: “Você, que é pai novo, leia o capítulo que fala dos pais pra tentar não cometer os mesmos erros.”

Uia! Sim senhora!

O livro é muito bacana e oferece uma abordagem diferenciada sobre o tema “mães que trabalham”. Ao invés de contar sua história e basear-se em seus aprendizados a autora resolveu fazer o que faz de melhor, e foi atrás das pessoas e do mercado em busca de informações.

Pesquisas qualitativas, quantitativas, homens, mulheres, profissionais do Brasil inteiro. A opinião de todo mundo foi colhida e analisada, montando um quadro fiel de como mães se desdobram para aliar a vida profissional à vida doméstica (enquanto os pais ainda tentam).

Com relação ao capítulo dos pais (sim senhora, eu li!), em um resumo bem resumido: a coisa tá preta, moçada. Temos que nos coçar!

Praticamente todas as mulheres reclamam que nós somos muito ausentes.

Mas, por outro lado, elas também não sabem ao certo como abrir mão do controle da rotina do lar e dividí-la conosco. Menos pior.

E por fim, como bons homens que somos, nos sentimos muito orgulhosos com nossas queridas mulheres e sua capacidade de realizar isso tudo, e em cima do salto.

Claro, desde que a cerveja esteja sempre gelada!

the man show
Ziggy Zag, Ziggy Zag, Hoy, Hoy, Hoy!

 

O livro vale a pena, principalmente para aqueles que gostam de pesquisas e análises de comportamento. Ah, e o prefácio ainda é da “Ótima” Bernardes!

Mais informações podem ser conseguidas em seu site oficial, e você pode comprar sua cópia aqui, na Livraria Cultura.

 

7 novembro, 2007 at 11:53 am 1 comentário

E aí? Deu certo ou deu MUITO certo?

twins A semana que passou entre a confirmação da gravidez e a realização do primeiro ultrassom foi uma ansiedade só.

Afinal, o tratamento deu certo? Ou deu MUITO certo?

Ou seja, esperávamos o bebê ou os bebês?

Aliás, ser pai (e mãe) de primeira viagem é uma ansiedade só. Começa com o “será que deu?”, passando pelo “será que tá bem?” e “quando nasce?” e só deve terminar lá pelo “e aí filhão, não vai sair de casa não?”.

Já estávamos nos questionando que carro comprar pra levar o batalhão, quanto isso ia custar e até a necessidade de assumirmos a bancada do Jornal Nacional pra tentar ganhar um extra. É… não ia ser fácil…

E foi com essa ansiedade que retornamos à Clínica do Dr. Izzo para o nosso primeiro ultrassom.

Entramos na sala e nos preparamos (eu apenas sentei, minha mulher sim – avental, cama, levanta as pernas, aquela coisa toda. E a gente com medo do exame de próstata…). Enquanto eu ainda tentava ligar a máquina digital veio o veredito:

É só um. E está vivo.

Foi assim, no primeiro minuto de ultrassom que, sem rodeios e nem vaselina, descobrimos que sim, o bebê estava bem, e que não, não eram gêmeos, trigêmeos ou quadrigêmeos.

Feliz? Claro que sim!

Mas sabe que já estava me acostumando com a idéia de ter mais de um?

single

5 novembro, 2007 at 4:44 pm 1 comentário


Lista de Enxoval

Faça o download de uma lista de enxoval para pais que não sabem o que comprar e muito menos por onde começar, clicando no formato preferido:


googledocs

excel_icon

PDF-icon